Páginas

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Da pressa


O tempo passa...
E tem mesmo que passar! Há tanto (e sempre) mais que se viver...
Isso se torna extremamente negativo se pensarmos que, a cada dia, aproximamo-nos ainda mais da única certeza que temos nessa vida: a morte!
Mas, como tudo que existe, tem também um lado positivo! Saber que a vida é curta não nos deve amedrontar! Pelo contrário, é o argumento fundamental para desencadear o hedonismo, louco e desenfreado!
É saudável buscar uma velhice sadia, mas pra quê viver tanto, aproveitando tão pouco? Se nosso tempo na Terra é curto e não há nada que se possa fazer, resta-nos dividi-lo de forma a o tornar inesquecível! É aquela velha história de viver o hoje, esquecendo-se do ontem e ignorando a (possível) chegada do amanhã... por mais irresponsável que isso pareça.
Aproveitar ao máximo, já que a morte é questão de dias, meses ou anos (tomara!).
E, num piscar de olhos, deixaremos os planos inacabados e os problemas mal resolvidos, sem tempo nem para escrever um bilhetinho!

Queria me desprender dessas amarras! Quebrar de vez os ponteiros do relógio e sair correndo por aí! Sem pressa pra voltar, porque enquanto o Sol ilumina o meu caminho, é desperdício não caminhar!
Ter como único objetivo aproveitar a única oportunidade que Deus me deu pra ser feliz, mesmo que com dias contados...

Só para poder bater no ombro de São Pedro e dizer que vivi só para (e não por) VIVER!

Li uma vez, em algum lugar que “é raro alguém viver, pois a maioria das pessoas apenas existe”. E me senti o “porco imundo” que geralmente me sinto quando reconheço em mim as características do ser criticado!

Encanto-me com a efemeridade do tempo enquanto sei que ainda o tenho para mudar!
Mas, e quando eu não souber???

Nenhum comentário:

Postar um comentário