Páginas

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Insegurança


Estranho como somos frágeis, não? Deixamo-nos comandar pelas emoções e percebemos o quanto elas nos influenciam. Pequenas frustrações ou decepções são capazes de comprometer toda uma seqüência de atitudes. Um estado emocional equilibrado é fundamental para o prosseguimento harmonioso de todas as nossas atividades. Brigas ou pequenas discussões atordoam o céu dos nossos pensamentos e dão a qualquer palavra caráter agressivo. A isso chamamos “insegurança”, um mal que parece não ter cura.
O que poucas pessoas sabem é que esse problema tem cura sim. E, apesar da difícil execução, é bem fácil de entender. Se tudo o que dizemos parece imbecil, nenhuma roupa cai bem no corpo e qualquer obstáculo parece intransponível, estamos sim inseguros. Quando nem os amigos convencem-nos do contrário, o caso torna-se ainda mais grave. Mas é aí que a solução aponta! Se você não vê ninguém em volta, provavelmente terá que lutar sozinho. E se não há adversários, é porque VOCÊ o é.
Então, percebemos que isso precisa vir de dentro. Não é clichê apontar o amor como saída. O inovador é ser o “próprio”, o “amor-próprio”. Ah! Se você não se amar, vai sempre achar que ninguém mais ama.
Confie! Nisso e em você. Não somos tão ruins quanto parecemos às vezes.
Pode ser que estejamos realmente gordos e só digamos bobagens... mas você não quer acreditar nisso. Quer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário