Páginas

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Confiança

Está certo que ninguém é perfeito. Não agradamos a todos e nem podemos nos cobrar tanto. O triste é ver que nem todos confiam em nós. Não somente no que diz respeito à confiança que exigem acordos e negociações, mas, principalmente, aquela confiança ligada às expectativas e ao reconhecimento. Não há nada melhor que surpreender pessoas incrédulas ao conseguir algo quase “impossível”; mas é terrível alcançar um objetivo sem que acreditem que foi por mérito.
Pode ser apenas incredulidade mesmo. Existem sempre aqueles que não acreditam no esforço alheio, e, tentando mascarar seus próprios fracassos, diminuem nossas conquistas, como quem quer ofuscar o brilho dos outros. Mas isso soa tão invejoso. O que essas pessoas ganham com isso? Eu sei o que perdem: perdem credibilidade, perdem respeito, perdem admiração e, principalmente, perdem tempo. Tempo que podiam gastar propagando bons fluidos e, consequentemente, conquistando novos corações. Porque, de pensamentos ruins, o mundo está cheio!
Precisamos, então, nos protegermos de qualquer coisa que não venha para somar. Críticas construtivas são importantes, mas bastante diferentes de comentários maldosos, e não é difícil separar. Seria menos cansativo se todos soubessem que o mais importante amor que podemos sentir é o amor-próprio. E quem ama confia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário