Páginas

sábado, 29 de dezembro de 2007

Triângulos


Quanto ao medo passado, foi mesmo melhor que ele se realizasse de uma vez. Cedo ou tarde, isso aconteceria, e eu não seria o último a saber, aposto! As coisas passam e isso também passou. Vidas continuam e, em casos assim, sofrer não adianta muito. Não impede nem mascara o inevitável, no máximo adia. Assim, não reconheço uma derrota porque “perder” não se encaixa nessa situação - ninguém perde o que nunca teve. Mas reconheço, sim, o triste fim que a maioria dessas histórias costuma ter. A felicidade do desfecho dura tão pouco que, provavelmente, já se esgotou. A certeza do fim não.
Nada mudou. Apenas o que era decisão, e já se havia firmado como certeza, agora, é saída. Mas o tempo passa. Tenho potencial e chances de virar o jogo. Além de uma vontade maior do que eu! Mas vale mesmo a pena? Meu futuro é tão mais promissor que esse acidente do passado.
Quem disse que, no fim, tudo daria certo não sabia a distância em que ainda se encontrava do final...

Nenhum comentário:

Postar um comentário