Páginas

sexta-feira, 20 de junho de 2008

As Aparências Que Te Enganam

Nós, seres humanos, temos a terrível e já consolidada mania de rotular! O dinamismo que gostamos de empregar em nossos pensamentos faz com que tiremos profundas conclusões baseados em muito pouca observação.
Percebo-me, muitas vezes, incidindo nessa prática. Julgando mal quem quer que seja, a partir de opiniões alheias ou pequenas ações. E, como todos, sou também vítima desse processo.
Os simples pré-conceitos não me incomodam tanto. Como eu disse, são uma falha comum dos homens, e, tudo o que é comum, a gente tem vontade chamar de “natural” ou “inerente”. O problema é o desdém que, muitas vezes, essas avaliações originam.
Quem me vê dançando funk em cima da mesa sem nem uma gota de álcool no sangue não deve me considerar muito tímido ou polido. Quando mato aula para assistir ao último capítulo de alguma novela, não devo parecer muito esforçado ou responsável. E a minha apatia frente à mania de perseguição de alguns? Na certa, é falta de empenho, de dedicação.
Para qualquer postura ou ação, as pessoas encontram logo uma “explicação” simples, um rótulo. E passam a te tratar a partir dele. Para cada qualidade, buscam logo algum defeito. É uma questão sintática. Qualquer frase sobre alguém precisa de um “mas”. Ninguém admite simplesmente afirmar a beleza de uma mulher sem levantar, ao menos, um porém. E somos nós quem estabelecemos a ordem desses adjetivos. Sou eu quem defino se quero ser “inteligente, mas irresponsável” ou “irresponsável, mas inteligente”. Sou eu que, pouco a pouco, me revelo (ou não), apresentando aos outros cada parte de mim que quero que vejam. E nada fica escondido. Mais cedo ou mais tarde, estamos abertos, revirados frente à curiosidade alheia, por mais que o temamos.
Talvez, eu não seja mesmo muito educado, nem estudioso e, muito menos, politizado.
Ou, talvez, eu seja, e foi você quem se enganou.
Porque eu vou sempre preferir te surpreender a decepcionar...
“Tolinho!”.

Um comentário:

  1. Como dizia Chico Buarque:
    "Quem me vê sempre parado,
    Distante garante que eu não sei sambar...
    Tô me guardando pra quando o carnaval chegar

    Eu tô só vendo, sabendo,
    Sentindo, escutando e não posso falar...
    Tô me guardando pra quando o carnaval chegar(...)"

    Rótulo!!??? Nunca gostei: http://www.everaldovilela.com/2006/04/18/rotulo/

    ResponderExcluir