Páginas

segunda-feira, 23 de junho de 2008

A Quase Crise de Consciência Desse Último Instante

Acabo de escrever quatro páginas comentando um livro que não li, e estou experimentando uma estranha sensação.
O alívio do dever cumprido, o prazer da superação e a culpa pela picaretagem.
Não deixa de ser um sinal de que vou resistir à Faculdade e outro de que não vou sair de lá “prestando”.
O que indica que posso ser um bom advogado. Ou que jamais chegarei a juiz.
Ah! Eu poderia me sentir muito culpado. Eu poderia chorar, sofrer, prometer não fazer mais isso... Eu poderia até ignorar o excesso absurdo de trabalhos e provas acumulados e ler o livro só para comentar “honestamente”.
Mas, quer saber? ESTOU COM SONO.
E espero não me lembrar disso quando acordar!
.
Queria não pensar tanto, para manter pequenas as coisas que são realmente pequenas. Pensa que não? É muito mais difícil para quem “potencializa”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário