Páginas

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Estrofes.09

Meus pais viajaram e estou sozinho com o meu irmão em casa. Nao vou fazer nenhuma festa, nem me demorar na rua após as aulas. Não vou vender os móveis, trocar a fechadura, nem nada do que temem todos os pais normais. Mas, domingo, fui à padaria comprar DOIS pães!
Acho que nunca fui tão feliz!
(para - tentar - entender o nonsense desse parágrafo, você precisa saber que o sonho da minha vida é morar sozinho!)
*
Eu sofro de alguma coisa emocional que apelidei de "efeito retardado". Geralmente, penso nas coisas muito depois de elas acontecerem. Apesar de entender as piadas de imediato, graça, mesmo, eu só acho depois de alguns dias. E, às vezes, acho muita. Rio dias e dias sozinho e ninguém acredita quando digo que "é de uma piada que ouvi semana passada".
E sou assim com coisas tristes e sérias também. Meu primo recebeu um
rim na fila de transplantes no sábado a tarde e eu nem dei muita atenção. O exato momento de confirmação da compatibilidade deu-se enquanto eu conversava pelo celular com uma amiga sobre um show de pagode ao qual iríamos juntos se eu não tivesse dormido a tarde inteira e deixado de confirmar. De repente, todo mundo começou a gritar, chorar, sorrir e eu precisei abraçar e consolar tanta gente que não me dei conta do que estava acontecendo. Fiquei feliz, vibrei, mas passou.
Domingo de manhã, acordei com vontade de escrever sobre isso e oh, meu Deus!. Acho que não chorava tanto desde a surra de vara que minha mãe me deu quando fugi de casa. Solucei, engasguei, rolei no chão. Foi choro de novela. Antes do segundo parágrafo, já não conseguia mais enxergar a tela do computador. E só parei, minutos depois, quando achei graça da situação. Impressionante como eu consigo parecer tão frio e ser tão besta sempre.

*
Fui transferido na Faculdade. Para quem não sabe, faço parte de uma equipe de pesquisa em Filsofia e História do Direito, e sou orientando de uma professora que nunca quis saber de mim. Agora, a partir de janeiro, serei orientado por outro. Este, pelo que soube, solicitou a minha cabeça, sabe Deus por quê, e conseguiu. Dentre os vários professores daqui, é ele o que menos me encanta. Nada contra o trabalho dele, a questão é pessoal mesmo. Não gosto dele e sou correspondido. Por que, então, ele quis ser meu orientador? Vou descobrir em janeiro e espero viver para contar a vocês.
*
Coisas pequenas me intrigam. Não sou do tipo que sofre por problemas muito grandes não. Sinto muito pela fome, torço para chover sempre, mas sem derrubar as casinhas alheias, e super me sensibilizo com criancinhas em sinais de trânsito. Mas acho que sou parte da pior classe de seres humanos que existe, as conformadas.
Apesar disso, espumo de ódio 2 ou 3 vezes por dia com pequenas coisinhas que ninguém repara. E tem algo que muito me diverte: não sei se todo mundo já percebeu isso, mas algumas pessoas têm traços de animais. E é algo que me intriga desde a infância. Gosto de saber com o que as pessoas se parecem. Exemplos disso, são alguns dos meus amigos já diagnosticados: tenho uma amiga pônei (sem tirar nem pôr), um amigo rato, já estudei com um coala, tive um professor coiote e por aí vai. E não são metáforas, são semelhanças reais.
Era a minha diversão favorita nos tempos de ensino médio. Só que, agora, isso está me torturando, porque uma marca de leite lançou uma campanha chamada combina com você, e encheu a cidade de outdoors com fotos desse tipo de gente. E não sei como conseguiram (será que foi um concurso? algo do tipo "eu e meu bichinho gêmeo de estimação"?), mas as pessoas são muito parecidas com animais. Talvez os melhores exemplares que já vi. É um martírio! A cada esquina que cruzo, está, lá, um desses transgênicos mutantes rindo pra mim com um copo de leite na mão.
É a modificação genética, minha gente. Ficaram brincando de DNA por aí e veja só no que deu. Tem araras, elefantes, cangurus e joaninhas infiltradas entre nós.
*
Ganhei uma nova aluna. Do tipo "preciso de todos os pontos do mundo e pra ontem", ou seja, das que mais me assustam. Cada aluno me ensina um jeito novo de contar nos dedos (juro que existem inúmeras técnicas!), mas essa está me dando mais trabalho. Ela tem algum problema de vidas passadas com o zero. Qualquer número, para ela, multiplicado por zero é igual a ele mesmo. E daí em diante. Ela divide por zero, multiplica, soma, subtrai... a minha sorte é que ela não sabe potência ainda!
E, a cada cálculo, encontra resultados mais surpreendentes.
Não sei o que fazer. Já tentei a exemplificação, a didática, a psicologia e vou apelar pro curandeirismo. Oxalá que dê certo, ou eu vou sentar a mão naquela menina!
*
Estou preocupado com o ano que vem. Fui transferido na Faculdade, como já disse, desisti do inglês, fui eleito pro Centro Acadêmico (e vou trabalhar feito um condenado!), saí da dança de salão, quero parar de dar aulas e, por enquanto, parei de namorar também (por enquanto porque me conheço e sei que não tenho um pingo de amor próprio mesmo...). Trocando em miúdos, parei de fazer tudo o que eu fazia e gostava. Está certo que o Centro Acadêmico vai exigir muito mais de mim e eu, provavelmente, terei ainda menos tempo livre. Mas devo demorar a me acostumar a essa nova condição, não?
Prevejo, para 2009, uma boa fase de - muito - mau-humor.
*
Hoje, eu faria dois meses de namoro. Faria! Mas estou feliz ainda assim. Grandes histórias merecem, sempre, grandes finais. E dias assim pedem grandes surpresas...

6 comentários:

  1. sem palavras para o desfecho desse "Estrofes.09" !

    haa não queira morar sozinho, muito menos reclame de companhia excessiva, solidão e saudade dói muito!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. esses anônimos ainda me matam de curiosidade...

    ResponderExcluir
  3. não se preucupe com nomes...
    o q importa e que gosto dos seus textos e me sinto bem em lê-los.!

    ResponderExcluir
  4. "Prevejo, para 2009, uma boa fase de - muito - mau-humor."

    disseram-me, na quinta-feira da semana passada, que sou mal-humorado. será? talvez, pois gostei da frase acima

    belo texto. continuo "te" lendo, mesmo sem comentar. estava em fase de conclusão de curso, preparando-me para a banca. enfim formei. tenho mais tempo agora

    continuo aqui. faz-me refletir

    ^^

    ResponderExcluir
  5. Hugo sumido, espero, sinceramente, que você volte aqui e leia isso:

    Não consigo mais ler o seu blog (e não tinha por onde te dizer isso). Você restringiu a leitura a convidados apenas...
    Me convida?

    huahuahuahua
    ;]

    ResponderExcluir