Páginas

sábado, 15 de novembro de 2008

Idiotas

Prazer, eu sou um idiota.
Pessoas normais ficam chateadas, sofrem, remóem aquilo e, em determinadas situações, explodem. Eu não. Sou idiota, lembra? Primeiro, explodo. Só depois, eu sofro e fico chateado. Não respeito mesmo a ordem natural das coisas, por que, com isso, eu seria normal?
O problema é que sou passional e impulsivo. Minhas explosões são realmente destrutivas e, quando chega a hora de sofrer, eu sofro mesmo. Pelo que aconteceu e pelos resultados, sempre catastróficos, das merdas que eu faço sob forte emoção. Tenho, sempre, muita coisa a dizer, e não sei usar eufemismos, meu tom de voz é agressivo, dizem. É o coração apertar um pouquinho que a boca abre, as idéias fluem e a vida sai dos trilhos.
Mas a raiva passa - claro que ficam as mágoas e as lembranças confusas, que a minha péssima memória adora embaralhar! - e eu me arrependo. Rapidamente, esqueço o que houve e dedico todo o meu rancor à minha estupidez. E, então, sofro - ainda mais - por minha causa.
Eu sou um idiota.
E idiotas merecem sofrer...
Só isso.

.
.
UPDATE: Às vezes, a vida te pede para escolher entre ser fraco e decepcionar alguém e ser forte e se decepcionar. E você pode passar o dia inteiro de pijama caminhando pela casa, pode comer pizza e uma caixa de chocolate, pode ler e reler textos, e-mails e frases antigas de amor pra se inspirar, que não adianta. Você ainda precisa escolher.
Tu tu tu tu...

Nenhum comentário:

Postar um comentário