Páginas

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Diário de Engorda

Olimpic Valley, Tuesday, January 19, 2010 – 18:14h

Eu deveria contar sobre a minha noite no hotel, mas não vou porque descobri que engordei DEZ POUNDS (aproximadamente 4,5 kg) e gente GORDA tem mais é que ficar calada. Boa noite!

20:27h

Um pouco mais recuperado e menos revoltado, preciso dizer que, para variar um pouco, estou sozinho fechando o ski rental. Adoro dormir até tarde todos os dias, mas esse horário da noite é muito ruim. Não tem gorjetas, não tem o que fazer e não tem companhia também. Hoje, eu deveria ter ficado com o Philippe – até as 20h –, mas minha chefe o liberou às 18h por conta do fraco movimento. Num surto de tédio, até LIMPEI A LIXEIRA. Não que isso seja algo fora do normal, porque fora do normal era o estado e que ela se encontrava. Nojo!

Apogeu da produtividade hoje foi aprender a jogar Sudoku. Olha, eu nasci pra isso. Sério. Talento GRITANDO aqui. Quanto à noite no hotel, como eu imaginei, não teve a menor graça. É ótimo dormir numa camona boa (eu dormi no colchão de ar, não me levem a sério), num hotel chiquérrimo, onde eu talvez nunca venha como hóspede. Mas DORMIR por DORMIR não tem a menor graça, gente. Deve ser bom passar UM DIA como hóspede. Com acesso a piscina, academia, spa e etc., mas já dormi duas vezes e é um choque tão grande precisar SALTAR da cama (elas são altas e enormes) com o DESPERTADOR, vestir UNIFORME e TRABALHAR. Passei minhas horas como hóspede de olhos fechados, dormindo. E com fome, porque né?!

Seríamos cinco no quarto: dois na cama, dois no sofá (que virava uma cama de casal!) e um no colchão. Um quis ir embora, outro saiu pra beber e voltou às 7 da manhã, Lucas e Philippe dormiram na cama e eu tive toda a sala para o meu COLCHÃO DE AR! O que saiu pra beber não teve uma noite tão simples assim: saiu às 11 da noite, foi de carro pra um bar, mas um trator que estava limpando a estrada jogou toda a neve da rua em cima do seu carro. Ele precisou CAVAR para encontrar o carro e o tirar de lá. Por isso, chegou tarde, bêbado, cansado e fazendo barulho. Achei até que ele tivesse pisado em mim, porque acordei com uma dor estranha na cara (às SETE da manhã), enquanto ele fazia café, mas voltei a dormir e passou. Comi uma coisa maravilhosa (que não sei como escreve) de bacon com ovos mexidos e tomei um suco de laranja. Super disfarçado de hóspede (porque não posso ficar dentro da Deli, posso comprar e sair apenas). Passeamos pelo resort (esqueci de dizer que Philippe estava comigo, pois pegaríamos serviço juntos às 14h), conhecemos o Nordic Center (que eu chamava de White circus, e, agora, vou chamar de OCA mal feita e prestes a desabar), onde fizemos companhia pra Rô, por horas e horas, enquanto ela cuidava de uma criança insuportável, que fez e falou inúmeras coisas dignas de nota, mas contar que ela COMIA MELECA é suficiente, eu acho.

O trabalho foi a mesma merda de sempre. E, agora, eu ainda preciso enrolar 19 minutos antes de ir para o ponto esperar o ônibus, que, com certeza, atrasará bastante por conta da tempestade. Conversei muito com Philippe hoje sobre o que realmente viemos fazer aqui, e concluímos estar no lugar errado. Juntaremos dinheiro e viajaremos por lugares mais emocionantes. Não agüento mais esse frio todo.

De divertido, só o fato de o Philippe ter perdido sua plaquetinha com nome e, agora, usar a minha reserva (porque eu tenho duas e ninguém sabe por que, nem eu). Agora, além das pessoas nos acharem parecidos, temos o mesmo nome. E trabalhamos sempre juntos. Caio e Caio ao seu dispor!

E, como prova de que eu não desisto, o congresso de médicos que estava acontecendo aqui no hotel acabou hoje e quase todos eles alugaram esquis. Estou na maior expectativa de ganhar gorjetas amanhã (porque trabalharei na neve). Se os médicos e médicas não nos encherem de dinheiro, espero, sinceramente, que se apaixonem por nós pelo menos. Bem mereço alguém pra pagar minhas contas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário