Páginas

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Mucha mota

Não sei se cheguei a comentar, mas estou na TERRA DA MACONHA! Sério. Moro no limite entre Califórnia e Nevada e em um desses estados a maconha é legalizada – desde que para fins medicinais. Não sei exatamente em qual dos estados porque esse é o tipo de assunto que não me interessa muito, e só sei alguma coisa sobre isso porque peguei carona com um usuário certa vez. Ele vive em Nevada e trabalha na Califórnia (ou o contrário, já não me lembro), e disse fumar maconha o dia inteiro, só que na rua em um estado e em casa no outro. Até me ofereceu maconha – que gentil –, mas eu não aceitei, obrigado. Outros meninos aqui viveram a mesma experiência, de entrar num carro (pegar carona é moda aqui) e o motorista oferecer maconha. Além disso, a maconha daqui é a melhor dos EUA e uma das melhores do mundo, porque é cultivada de forma legalizada e, portanto, com muito mais cuidado e infra-estrutura.

No resort, às vezes, alguns hóspedes passam por nós com seus baseados, sorrindo e empesteando o ambiente com aquela cara BOA de quem tá se divertindo. Há quem plante sua própria maconha também, e não falta quem revenda. Ouvi dizer que um dos manobristas-carregadores-de-malas do resort oferece para todo hóspede que chega – e vende bastante!

Os brasileiros aqui, J1s imundos, estão se acabando de fumar. Nas festas, há sempre uma rodinha (cada vez menos inha). Peguei ônibus com oito uma vez, que discutiam os diversos modos de se fumar maconha: com latinha de alumínio, sem latinha, com isso, com aquilo... virei PhD.

Isso não influenciava muito a minha vida, eu confesso. Muita gente diz que eu devo experimentar pelo menos, porque é uma experiência única e tal, mas ainda não tive vontade. Na verdade, embora CONVIVA com isso todos os dias, nem o cheiro aprendi a reconhecer ainda. Vira e mexe alguém diz olha o cheiro, Caio, olha o cheiro!, e eu pergunto o quê? fogo?. Agora, entretanto, a situação mudou um pouco. Arrumei uma alergia estranhíssima e estou sempre com os olhos vermelhos. Não sei o que é, não coça, não arde, não incomoda, nada! Mas meus olhos amanhecem vermelhíssimos todos os dias e vão melhorando até a noite, embora nunca fiquem normais outra vez. Minha pupila dilata também, dizem. E isso já dura uma semana, ainda que a vermelhidão varie de intensidade. Agora pensa comigo: nacionalidade brasileira + visto de J1 + cara de piranha + cabelo de argentino + olhos vermelhos. Pode dar algum outro resultado? CLARO que não, Caio.

Minha chefe já até me chamou no cantinho para conversar sobre drogas. Um dos meus supervisores tem CERTEZA de que eu me entreguei ao vício. Meu outro chefe disse que há algo estranho no meu rosto. E todo mundo pergunta onde é que eu fumei dessa...

Eu explico, eu juro, eu faço o diabo, mas ALGUÉM ACREDITA?

E o pior é que eu também não acreditaria. Pronto! MACONHEIRO era a última alcunha que me faltava mesmo. Beijo pro Cazuza!

Nenhum comentário:

Postar um comentário