Páginas

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Pra falar a verdaaade, na realidaaade...

Estava discutindo com o Hermano (sabe aquele amigo que te BOTA PRA CIMA? Então!) sobre os motivos pelos quais eu serei SEMPRE uma pessoa SOZINHA, e destaquei o MEDO que desperto nos outros. E não é pretensão minha dizer isso. As pessoas têm mesmo medo de mim à primeira vista, já cansei de ouvir, de amigos e de paqueras. Dizem que pareço FORTE demais, SEGURO demais, AUTOSUFICIENTE quase. Têm medo das minhas piadinhas e, principalmente, da minha indiferença. Vás vezes, ME JOGUEI em cima de flertes e ouvi depois: mas eu sempre achei que você me odiasse. Muito confortante, como sempre, Hermano abriu os meus olhos para o fato de que as pessoas pensam assim de mim porque EU ME FAÇO PARECER ASSIM PARA ELAS. Segundo ele, eu gosto de mostrar que sou melhor, eu gosto de fazer piadinhas e ridicularizar as pessoas, eu criei essa imagem de pessoa forte e inatingível. Tá, ok. Ele não falou com essas palavras, mas falou algo parecido e foi isso o que eu entendi. Pois então. Analisemos!

Reconheço minha culpa. Sempre ostentei mesmo uma falsa imagem de mim, por medo das pessoas me conhecerem muito facilmente. E sou ator, não nego. Às vezes, até eu acredito nessa casca dura. Mas vou contar a verdade então. Aproveitar esse espaço aberto e pouco freqüentado para desmanchar minha máscara de uma só vez.

É TUDO MENTIRA, GENTE! Tudinho. Na verdade, eu sou o mais frágil e inseguro dos seres. Só não gosto muito de admitir. Me acho FEIO, GORDO e BURRO. Faço piadinhas com todos porque sempre acho que farão comigo, e preciso me defender e intimidar. Acho que todo e qualquer cochicho é sobre mim. Não acredito em elogios (de verdade), sempre acho que só querem me fazer sentir melhor, exatamente porque eu PRECISO de algum estímulo pra continuar essa vida medíocre. Não entendo quem se interessa por mim. Na verdade, nem percebo. Enquanto o interesse não é VERBALIZADO, sempre acho que não passa de PENA ou SIMPATIA pura e simples. Essa minha eterna cara de INDIFERENÇA foi o jeito que arrumei de mostrar pro mundo que não ligo A MÍNIMA para ele. Quando, na verdade, ligo sim, é claro. Não tem como não ligar. Meu sorriso de foto, com o pescoço sempre virado no ângulo correto, e todo o photoshop que vem depois é como eu me sinto mais atraente e interessante. Esse blog foi o lugar que encontrei para desabafar o que não falo com os meus amigos, por vergonha, medo ou insegurança. Porque eu quero que eles saibam, mas minha boca nem sempre é capaz de dizer. A única pessoa de quem eu realmente gostei foi quem eu mais esnobei exatamente porque não queria parecer VULNERÁVEL. Dizer EU TE AMO é dizer EU ME ENTREGO e não consigo admitir PERDER O CONTROLE sobre mim. Sempre estive entre os melhores alunos da turma na escola (descambei na faculdade, eu sei), porque, no fundo, sentia que ninguém gostava de mim, e era a minha forma de me destacar em alguma coisa. Todos os meninos eram legais, tinham amigos e eram bons em algum esporte, mas eu tinha nota boa e pronto!. Meus trabalhos sempre foram os melhores (e o próprio Hermano é testemunha disso), porque eu sempre queria cativar as pessoas, para elas QUEREREM ser do meu grupo (o que não acontecia). Meus orgasmos infantis aconteciam quando alguém pedia meu Para Casa emprestado pra copiar ou tirar dúvidas, ou quando algum professor elogiava minhas notas em voz alta. Tudo um jeito BOBO e DESESPERADO de provar pras pessoas que eu tinha algum valor, já que EU não acreditava muito nisso. Meu humor é absolutamente instável. Às vezes, estou dançando feliz ou contando piadas e é só alguém me olhar diferente para eu perder completamente o rebolado. Fico triste, fico quieto, fico calado. Não sei viver em grupo. Odeio barulho, odeio bagunça, odeio muita gente reunida. Tudo o que eu mais gosto nessa vida é de abraçar, estou sempre me aninhando em algo ou alguém, mas não me sinto à vontade para fazer isso com a grande maioria das pessoas. Infelizmente. E me sinto fraco e dependente, às vezes, por isso ser tão importante pra mim.

Tá vendo? Por isso, eu entendo quem não gosta de mim de primeira. E entendo também quem gosta e depois desgosta. Entendo tudo, até o que não quero. Mas admito que não ME entendo, e admito também que, infelizmente, vivo esperando as pessoas me entenderem! E entendo elas não conseguirem também. Até porque...

3 comentários:

  1. EU TE ENTENDO E EU TE AMO!

    SAUDADEEEEEEE!

    ResponderExcluir
  2. No final das contas, todo mundo usa máscaras pra esconder pelo menos um poquinho de insegurança que a gente tem de não ser aceito como a gente é! Mas claro que o ideal é uma vida sem máscaras...

    ResponderExcluir