Páginas

domingo, 7 de março de 2010

TOC de _ _ é _ _ _ _!

Tahoe City, sábado, 6 de março de 2010 – 20:36h

Hoje não foi exatamente o que eu costumo chamar de um BOM DIA. Não mesmo! Para começar, não dormi NADA, porque a festa varou a madrugada e, muito querido que devo ser, recebi mais de uma dezena de visitas enquanto dormia. Gente pra me dar boa noite, gente pra fazer consultoria amorosa, gente pra bater na minha bunda, gente pra enfiar a língua na minha orelha... só GENTE BOA, percebam!

Não durei muito na festa, óbvio, mas soube que foi uma PUTARIA! Mesmo. E eu até podia ter participado, porque certo alguém me pediu ajuda para DAR DESCARGA e se trancou comigo no banheiro. Mas nem paciência pra esfrega-esfrega às escondidas eu ando tendo e dei logo um jeito de cortar o barato... Na verdade, eu já não sei mais o que é paciência. Pronto!

O dia no trabalho também não foi dos mais produtivos, é claro. Estava morrendo de sono e, agora, minha cabeça está longe, decidindo sobre passar ou não um dia em Los Angeles (só questões econômicas me afastam da idéia, que eu sei que é ótima!). A parte mais feliz do dia, eu acho, foi chegar em casa e FAXINAR! Agora, com o número de pessoas diminuindo consideravelmente a cada dia aqui em casa, parece que meu sonho de limpeza tornou-se mais PALPÁVEL e POSSÍVEL! Ontem mesmo, a casa estava limpinha antes da festa. Sinal de que ainda tem jeito!

Cheguei correndo, determinado, pus as roupas pra lavar, catei todo o lixo da festa, lavei toda a louça da casa e até a pia. Falta a mesa da sala só. Depois, aspirar todo o carpete, lavar a cozinha e o banheiro, mas, para isso, precisarei de um dia inteiro (ou grande parte de um). Tinha condicionado essa big faxina by myself à realização de um desejo aí, no melhor estilo limpo essa casa inteira sozinho se papai do céu quebrar esse galho, mas quem disse que eu agüento esperar? Meu próximo dia de folga é na quarta e ainda preciso me decidir entre ir a LA, Reno, esquiar ou fazer faxina. Difícil escolha, eu sei.

Já que toquei no assunto, há certas coisas que eu gostaria de falar sobre limpeza! Estava vendo um menino falar de mim esses dias, contando um caso para amigos, e usar palavras como louco e transtorno obsessivo compulsivo. Também recentemente, ouvi elogios como chato, desesperado e autoritário. E, embora não deseje nunca tolher a formação de opiniões sobre mim por cada ser humano com que convivo, juro que não entendo todo esse exagero às vezes. Higiene nunca é doença, gente. Limpeza só faz bem, amém! Seria preocupante se eu lavasse as mãos 250 vezes por dia, se eu não comesse fora de casa, se eu evitasse pessoas... Mas não! Meu apego é todo direcionado a coisas tão simples. Confiro talheres? Confiro! Cheiro copos antes de usar? Cheiro! Tenho nojo de chão sujo? Tenho! Mas isso não deveria ser normal? Não entendo, e espero não entender nunca, onde está o descontrole em gostar de ter sempre talheres limpos disponíveis na gaveta adequada. Ou, mais ainda, de querer poder pisar descalço no chão do banheiro. Se meu caso é patológico, não tem cura infelizmente, porque não o reconheço como tal.

Hoje, por exemplo, trabalhei no Ski Checking com um americano que tem uma mania um pouco chata. Que me incomodou bastante! Guardamos os esquis com seus respectivos poles presos por um elástico, que chamamos de Rubber Band. Recebemos os esquis, botamos as rubber bands, guardamos e, na hora de entregar pros seus donos pela manhã, retiramos as rubber bands e as deixamos numa caixa, para serem usadas novamente. Absolutamente simples, eu sei. Mas não para ele, que, inconformado com alguma coisa, joga no chão cada elástico que retira dos esquis. Tipo TIRA, JOGA NO CHÃO e SEGUE ADIANTE, como se NADA tivesse acontecido. Dá para entender, eu me pergunto? Quem é mais problemático, ele que JOGA AS COISAS NO CHÃO ou eu que CATO e me sinto INCOMODADO? Não é pedir demais esse mínimo de EDUCAÇÃO, é?

São coisas simples, sabe?, que eu não consigo acreditar que não sejam NATURAIS para todos! Como eu não consigo entender quem come sentado no carpete e larga o prato sujo e o garfo no chão, às vezes até com meio copo de suco! Não entendo, gente! Não mesmo!

E também não quero mais falar sobre isso. Difícil, doente ou insuportável, não posso deixar a sujeira me azedar!


UPDATE: Na próxima vez em que eu reclamar da minha vida amorosa, favor me lembrar que, da última vez em que alguém me chamou pra sair, eu disse "não, obrigado, estou muito cansado" e fiquei em casa comprando perfume pela internet. Só preu não esquecer mesmo, obrigado.

Um comentário:

  1. Comentário 1: Lata d'água na cabeça...

    Comentário 2: Liga não. A gente te ama.

    Comentário 3: Não existe.

    ResponderExcluir