Páginas

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Exílio


Eu sempre quis ficar um tempo sozinho. Sozinho, que eu digo, é sozinho do mundo. Desligar o telefone, o computador, a cabeça, e esquecer. Já até viajei buscando essa liberdade, mas não deu. Isso tem que vir de dentro, não dá pra forçar... E vivo me dizendo que é disso que preciso, que é isso que quero. Mas tenho medo, não sei. Medo de as coisas mudarem demais na minha ausência, medo de descobrirem que eu não faço falta alguma, medo das coisas boas que eu vivo esperando acontecerem, porque eu parei de esperar... Medo de tudo.
Só que chega uma hora que fica tudo pesado demais. Meu signo já me faz inconstante. Aí, às vezes, o peso aumenta muito e os joelhos cedem. E eu sinto uma vontade louca de sumir, de fugir pra bem longe. Eu adio, finjo que não é nada, como uns chocolates, ensaio uns mantras, mas o que eu quero mesmo é gritar. Quero gritar e correr, e que ninguém nunca me alcance. Quero criar coragem pra enfrentar esses medos e deixar minha vida viver um pouco sem mim. Quero tirar férias de vocês.
Ai. Parece que essa hora chegou!

2 comentários:

  1. Você vai morrer ou só parar de escrever no blog?

    ResponderExcluir
  2. Bem, isso pode não significar muito, ou ainda não significar nada pra você, mas sentirei muito a sua falta... Assim como senti muito quando foi para os EUA. E se te consola, sentiriam muito mais a tua falta do que a minha. Seja o "menino que corre" algumas vezes se é isso que você deseja. Já o fui, não posso dizer que resolveu ou que ajudou, mas fui e creio que isso basta. Você nunca está sozinho, só precisa abrir os olhos e ver que tudo que tem ao redor é seu.

    ResponderExcluir