Páginas

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Sr. Caio

Meu conceito de funcionário público tem MUITO de maturidade. E o meu conceito de maturidade não tem quase nada de mim. Eu não paro de crescer, mas finjo não perceber esse crescimento. E é estranho como um corte de cabelo ou uma camisa social alteram em quase dez anos a idade que aparento, para menos ou para mais. Eu tenho medinho de escuro, medão de assombração, não posso nem ver filmes de fantasmas. Nunca sei o que quero. Meu orientador diz que meu rumo é “não ter rumo”, é a minha marca registrada. E que sentirá medo ou preocupação é se, algum dia, eu disser “já sei o que fazer” ou "tomei uma decisão importante”. Tudo na minha vida é passageiro. Eu não levo nada adiante, desisto fácil, tomo gosto e desapego quase ao mesmo tempo. Sinto uma necessidade estranha de “experimentar” de tudo, de conhecer tudo, algo que não cabe em mim. E isso me faz sofrer um sofrimento infantil, desses que a gente cura com colo e chocolate. Eu me sinto uma criança ainda, e não é por medo de envelhecer (talvez seja), mas por não sentir que já tenha chegado a hora.
Só que eu fiquei esperando os sinais e a hora chegou. Disfarçada, em forma de telegrama. E eu vou pular a parte da maturidade e cair logo no funcionário público. Tipo uma evolução conceitual, mas pulando um conceito. Serei funcionário público, meu Deus! FUNCIONÁRIO PÚBLICO. No meio de um tanto de gente que, provavelmente, tem a idade dos meus pais. Eu, essa coisa grande e desengonçada, que come unha e ri quando fica nervoso, que chupa bala embaré e toma Fanta Uva, que faz origami com bloquinho de recados e liga pra mãe quando tem dor de cabeça, pra ver se é o caso de esperar um pouquinho ou já tomar um remédio. Em (muito) pouco tempo, eu terei um crachá, um PIS, FGTS, ticket alimentação e uma mesa cheia de porta-retratos e pesos para papel. Eu, que não tenho nem guarda-chuva, porque, de tanto perder e esquecer nos lugares, prometi nunca mais usar. Terei funções também, muitas!, e poderei financiar casas e carros com meu contracheque.
Espero ter uma geladeira por perto, na copa dos funcionários ou em algum cantinho da repartição, pro meu Toddynho das dez. Sim, porque eu tomo um toddynho todos os dias, às dez da manhã. E eu já avisei que passei direto pela maturidade, não foi?

Um comentário: