Páginas

terça-feira, 22 de março de 2011

História

Uma vez, um menino perguntou ao professor qual era a função da história - na verdade, ele perguntou por que estudamos coisas que já passaram - e lembro do balão lindo que fiz no caderno: "a história estuda o passado para compreender o presente e prever o futuro".
Deve funcionar pra civilização ou pro resto do mundo, imagino. Mas, comigo, a coisa é mais complicada. Olho pra trás e não entendo porcaria nenhuma. Futuro, eu acho que nem tenho! Passei os últimos dias me perguntando O QUE É QUE EU TO FAZENDO COM A MINHA VIDA e consegui não chegar a conclusão alguma. Não errei nem acertei... Eu simplesmente não concluí o raciocínio.
Minha cabeça está a mil e, dessa vez, não adianta chocolate, roupa nova ou corte de cabelo. Fudeu!

2 comentários:

  1. Caio, o seu problema é o mesmo que o meu, que é o mesmo que o do vizinho, que é o mesmo do protagonista da novela das oito.
    Love. Simplesmente isso. Seja a falta de um, ou a lembrança de outro. Isso é fato. Querendo ou não, o famigerado "sentido da vida" anda junto com ele. E mesmo que seja por alguns dias, meses, anos.. esse sentido aparece quando temos o tal love.
    Podemos relutar em aceitar, mesmo porque MINHA FELICIDADE NÃO DEPENDE DE NINGUEM, não é esse o mantra? Mas... sabemos que, no fundo, existe alguém que dá um empurrãozinho pra isso acontecer.
    Eu sou muito orgulhosa pra aceitar isso, então eu continuo batendo na tecla "minha vida está ótima como está". Mas você... você reclama. Você xinga. Você não se conforma.
    E tá, eu posso até estar interpretando mal as suas queixas, e não ser nada disso.
    Mas que ajuda.... isso ajuda.

    =P

    ResponderExcluir
  2. Caio, não te conheço mas acompanho seu Blog, gosto muito. Adoro as coisas que você escreve, me identifico com algumas, me divirto muito com outras. Parabéns! Quanto a este post, concordo com o comentário da Flávia porém, o "LOVE" tem que ser por nós mesmos. Sim, amar é bom, nos faz feliz, mas quando nos amamos primeiro. Sim, você não deve buscar a sua felicidade nos outros e sim em VOCÊ. Fazer as coisas que tem vontade. Tenho me sentido, talvez, do mesmo jeito que você. Olhe para o passado e tente ver o que aconteceu para o seu presente estar dessa forma (confuso, conturbado), ele certamente lhe trará algum ensinamento ou uma atitude que não deva ser repetida. Acho que devemos mesmo reclamar, xingar, esbravejar...mas, devemos fazer algo para mudar.Melhorar. Ser feliz e concluir o raciocínio.

    *Sim precisamos de um empurraoznho, mas esse deve vir de nós mesmos e convivermos bem.

    ResponderExcluir