Páginas

quarta-feira, 27 de abril de 2011

As Cartas que eu não mando.2: Não sei por que você acende tanta vela

Não sei por que você acende tanta vela se eu só te vejo pecar. De que adianta rezar tanto se você julga muito mais? Não sei o que seu Deus te ensinou, mas já ouvi da sua própria boca frases muito bonitas sobre tolerância, julgamentos e amor ao próximo. De que adianta essa vela acesa na sala se, nos outros cômodos da casa, você prega a diferença entre homens e mulheres, o machismo e a submissão. Se, da porta pra dentro, você critica e condena todos a quem sorri da porta pra fora.
Por que simular essa ótima relação com os jovens se, na sua cabeça, moça solteira é sinônimo de moça promíscua, e rapaz solteiro é gay, porque tá cheio de moça bonita dando sopa por aí. Pra que se fingir de “antenada” e “compreensiva” se, no fundo, só o que te move é a curiosidade e um desejo sórdido de ter o que criticar. Você não gosta de ninguém que fuja do segredo de felicidade que você prega. Jovens heterossexuais que trabalham e estudam de segunda a sexta, pra almoçar em família, namorar em casa e ir à missa nos fins de semana.
Doença, pra você, é frescura. Cansaço é preguiça, falta de religião é falta de Deus, falta de compromisso é falta de vergonha e homossexualidade é uma escolha de vida de gente que não tem gratidão, uma opção irresponsável de jovens rebeldes que querem punir suas famílias.
Por que você cozinha pra sobrinhos se, quando eles saem, você enumera suas gafes e explica seus defeitos historicamente, com base na comparação com os defeitos de seus pais e até avós. Você não está errada em ser essa vaca que é, não é pecado... seu crime é fingir não ser.
Não sei como anda a sua pontuação com Deus depois de tanta fumaça, mas espero, sinceramente, que essas velas não te ajudem em nada. Seus domingos na missa e sermões em família não vão limpar a sua barra. Nem seu casamento estável e duradouro, pra não dizer acomodado e mantido (porque o homem não separa o que Deus uniu, não é?). Um dos únicos casamentos da família que durou, o único sem grandes escândalos.
Saiba que sua situação piora a cada “fui criada assim” que você usa pra se defender de qualquer opinião contrária. É uma forma de não precisar mudar, de justificar o atraso, eu sei, mas não funciona. Não ameniza. Você não parou no tempo, querida. Você VOLTOU no tempo! E não é nem um pouco melhor que os outros por isso – nem mais feliz.
Na verdade, começo a pensar que te entendo e, no seu lugar, acenderia mais velas ainda. Velas de sete dias, de trinta dias, de quinze anos... Queimaria logo uma floresta. Faria jejum, voto de pobreza, tudo. Pra ver se, pelo menos, Deus perdoa tanta demência...

Um comentário:

  1. Se esse texto está dizendo o que eu acho que ele diz, a situação tá tensa, né?
    E o problema é quando falam pra usarmos a frase "não me importo com o que os outros pensam", quando "os outros" são aqueles que deveriam entender.

    Uma vez um amigo muito sábio meu disse a seguinte frase: "A situação é essa e eu estou muito bem com isso. Você não está? Faz terapia."
    Acho que essa frase é super válida em vários momentos da vida.
    Não é?

    ResponderExcluir