Páginas

terça-feira, 28 de junho de 2011

As Cartas que eu Não Mando - Boboca!

Se eu tivesse que dizer o que sinto agora, pra rebater a acusação da “raiva que não sei disfarçar”, talvez a única palavra possível fosse “vergonha”. Não foi o bastante para me causar raiva, nem durou tempo suficiente pra que eu tivesse do que me arrepender agora. Sinto raiva de uma coisa ou outra e me arrependo de algumas também, mas o que mais sinto é vergonha. O que pesa meus olhos e balança incessantemente a minha cabeça de um lado pro outro, como se procurasse um consolo, é a vergonha somente.
Vergonha por ter acreditado nisso. Acreditado em você, em mim e na remota chance de essa palhaçada dar certo. Vergonha de ter acreditado nas palavras bonitas que você me disse, de ter permitido que os elogios (que nunca saberei se verdadeiros ou não) me iludissem minimamente a ponto de eu me sentir interessante o bastante pra justificar essa confusão.
Vergonha por ter feito planos, mesmo que poucos, considerando essas novas “circunstâncias” impostas pelo destino. Por ter alugado o ouvido de amigos que me ajudaram na crise existencial que você trouxe. Por ter lutado contra a parte de mim que condenava você e, principalmente, por ter vencido essa luta. Eu me convenci de que não havia problemas em investir nisso. Eu me convenci de que você me queria e de que você valia a pena. Eu me enganei.
Vergonha por, pela primeira vez em muito tempo, me sentir seguro e orgulhoso por ser eu mesmo, quando, na verdade, era ele quem você procurava em mim. Só ele. O que tenho de bom, tenho em comum com ele. O que não tenho, ele tinha, é claro. Grande ele, sempre ele. Que vergonha por saber disso desde o começo e ter fingido ignorar.
E, em breve, ele vai saber e a minha vergonha será ainda maior. Serei o vilão dessa história. O malvado, o cruel. Não duvido que digam que armei tudo, frio e calculista como sou.
Eu reclamava por protagonizar verdadeiros dramalhões, repletos de muita rejeição e sofrimento e, hoje, fui ser coadjuvante na história dos outros.
Pra ser rejeitado lá também.
Que vergonha! Que vergonha!
Que vergonha!

11 comentários:

  1. Eu gosto de dizeres nas entrelinhas, mas seu blog tem SÓ entrelinhas... aí dificulta a compreensão. Leio e no fim pergunto: tá, mas o que ele disse? Ou quis dizer?

    ResponderExcluir
  2. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  3. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  4. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  5. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  6. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  7. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  8. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  9. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  10. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir
  11. esse blog tá quase uma biografia...MINHA!!!KKKKK...Espelho espelho meu, existe alguem mais babaca que eu???

    ResponderExcluir