Páginas

sábado, 20 de agosto de 2011

Tchau, Doutor Caio!


“Você precisa tomar uma decisão...”
“Segunda, ela vai te ligar...”
“Nossa! Como você é ingênuo...”
“Não foi burrice, mas quanta inocência...”
“O problema é que você pôs no papel...”
“Você errou aqui...”
“Você se queimou...”
“A situação está péssima. É muito grave o que aconteceu...”
“Ele te odeia e não vai desistir até te ver bem longe daqui...”
“Desista!”
“Vá embora...”
“Não há muito o que ser feito...”
“Tchau, Doutor Caio...”
Até que, de repente, tudo mudou!
Nesse coro de urubus, uma vozinha quase imperceptível tentou dizer algo e ninguém ouviu. Não repetiu. Mas, porque tinha que ser, essas palavras seguiram, como que pelo vento, o caminho exato e inverteram o “quadro perdido”. Acabou o “problema grave”. Esqueceram o “papel”, finalmente. O “fim da linha” revelou um caminho imenso ainda a ser percorrido.
O fim de semana mais longo do ano será o mais rápido agora. Acabou todo aquele peso nas costas, a tensão, as frustrações. Ficaram só as boas lembranças, a consciência limpa e o aprendizado – imenso e importante nesse recomeço. E, pra quebrar um pouco a rotina, uns bons dias de muita felicidade.
Deus não fecha uma porta se não tiver uma janela ao lado pra escancarar...
Aí, é só pular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário