Páginas

domingo, 25 de setembro de 2011

Ah, cortei.

Estavam em roda na escada, cada um com um grande conflito.

Henrique escolhia entre duas idéias pra monografia de final de curso que se aproximava; Cristina defendia uma idéia absurda que ninguém queria nem debater; Roberta chorava o fim do namoro de cinco meses; e Pedro lamentava (incessantemente) a incapacidade de engatar um romancezinho que fosse.

Até que chegou Izabela, CARECA!

O constrangimento durou três longos segundos do mais inesperado silêncio, que Henrique interrompeu com um sonoro “O QUE HOUVE COM O SEU CABELO?”, e ela respondeu com um sorriso:“Ah, cortei!”. Todos a olharam com interrogações. Ela sorriu de volta, deu as costas e foi embora.

Izabela sempre fora estranha, eles repetiam ainda em silêncio. Não conversava com ninguém, estava sempre sozinha, não havia se enturmado. Ninguém sabia nada sobre a gordinha estranha, só que era gordinha, estranha e, agora, careca. E ela precisava expor sua cabeça pelada para merecer alguma reflexão das ocupadas e peludas cabeças alheias.

Izabela tem um irmão viciado em drogas. A família descobriu recentemente, depois de muitos roubos e crises dentro de casa. Proibido de sair, sem dinheiro e vigiado, ele se tornou garoto de programa e, daí em diante, se envolveu em um tanto de outras coisas que o levaram à prisão. De uma hora pra outra, ainda sem saber como o curar do vício, a família precisa, agora, espremer o que tem e o que não tem para pagar um advogado, o melhor da cidade, e o devolver à liberdade o mais rápido possível.

Em meio a tudo isso, a mãe de Izabela descobriu um tumor na cabeça e precisou ser operada às pressas. Ninguém sabe direito o que é, mas a cirurgia era uma emergência e assim foi feito. Com o filho ainda preso, ela foi internada, teve a cabeça raspada e o tumor retirado. Agora, espera o resultado dos exames.

Os atrasos e a correria de Izabela têm a ver com a rotina de visitas e tentativas de ajudar o irmão preso. A cabeça careca é solidariedade com a mãe, ao que dizem bastante fragilizada.

O sorriso no rosto de Izabela é que ninguém consegue entender…

Só ela.

Um comentário:

  1. Coloca um share,e até mesmo um like em baixo dos posts, está disponível no próprio facebook ou você acha o código no Google. Muito bom o texto!

    ResponderExcluir