Páginas

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

As Cartas que eu Não Mando - Sinto muito.

Você sente muito, eu sei.
Pois foda-se. O quanto e o que você sente, pra mim, são absolutamente irrelevantes. Sinta muito, pouco, frio, saudade, medo... Sinta o que quiser e, se não quiser, não sinta. Foda-se. Não muda nada pra mim.
Sentir muito é uma fuga, uma covardia. Você sente muito porque reconhece seus erros e defeitos mas é incapaz de os corrigir. Sente muito para poder se poupar disso, para não precisar se preocupar.
Você sente muito e, assim, se sente livre pra seguir em frente. Sentir muito alivia a sua consciência. Você já sente muito, não há mais nada que possa ou deva fazer.
Pois sinta. Sinta muito. Sinta o quanto quiser.
Não vai me fazer sentir nada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário