Páginas

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A…a-lô?

Não sei por que você me liga. Não sei e gostaria muito de entender. Não foi nada, eu sei. Eu sei e você sabe. Uma série de mal-entendidos, duas intenções bastante diferentes, confusão da minha parte, diversão da sua. Mas só. Não passou disso. Então, pronto! Eu já prometi não pensar, virou o ano e eu já nem falava mais sobre isso. Pra que ressuscitar essa idéia agora? Você tem um namorado pra respeitar, uma reputação para manter e muita insegurança ainda pra superar. Eu sei. Lamento, mas sei. E não te cobro nada. Nadinha. Seja feliz, case-se, tenha pencas de filhos e eu não vou reclamar. Só não me ligue. Não me ligue! Nunca, por motivo algum. Eu te proíbo! Não tenho nada a te dizer, não há nada em que eu possa te ajudar e não é engraçado me ouvir gaguejando. É cruel e desnecessário. Aprendi a lidar com a impossibilidade disso já, não faça parecer possível. Não me ligue, por favor.
Não me ligue!

Um comentário:

  1. tem pessoas que não aceitam que estão no passado, e isso é tão injusto, achar que pode votar quando quiser.

    ResponderExcluir