Páginas

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Bala Valda é Amor


- Eu adoro essa bala. Desde criança, eu compro sempre que vejo.
- Isso é coisa pra garganta, não é coisa pra gostar não.
- Ai, eu adoro. No começo, ela é docinha, docinha e, de repente, fica amaaarga... até que acaba e deixa um gosto horrível na boca. Mas aí dá vontade de chupar outra.
- Nossa!
- O quê?
- Você descreveu o amor.
- Eu?
- É. É o amor! Bala Valda é o amor...

2 comentários:

  1. Poxa, identifiquei total. Mas por um lado, há uma coisa boa nesse século XXI, não somos mais 'obrigados' a chupar a mesma bala amarga pelo resto da vida! Terminamos namoros, paqueras, romances, casamentos, temos liberdade de não só romper, mas de conhecer e ter novos relacionamentos.

    Abraços, Caiozito!

    ResponderExcluir