Páginas

terça-feira, 7 de maio de 2013

Vamos curar esses gays #rehabdeviado


Lancei uma hashtag no Twitter hoje, a #rehabdeviado. Ela, obviamente, não vai pegar, não vai ser TT e nem deve render mais que alguns retweets. Mas a repercussão foi boa – por “boa”, entenda “bem melhor que o normal” -, e eu decidi juntar tudo o que desenvolvi em tweets dispersos num único texto.
Eu não vejo a "cura gay" de forma tão negativa. De verdade. Tudo nessa vida tem um lado positivo, até as "doenças". No dia em que a homossexualidade virar mesmo uma ~doença~, eu vou marcar uma consulta e pedir um atestado médico. Sou gay, Doutor.  Depois, uma licença para tratamento de saúde e aposentadoria por invalidez... Sério. Parece brincadeira, mas não é.
Até que consigam me curar, quero todos os benefícios de uma pessoa incapacitada para o trabalho – e até para o convívio, que não é lá grandes coisas num país onde esse tipo de ideia tenha adeptos. Não vai fazer falta. Como não acredito que eu vá ser curado, então só restará torcer para não adotarem a “eutanásia” pra esses casos.
Mas, na verdade, meu atual sonho sórdido é a #rehabdeviado, uma clínica de reabilitação para as vítimas da homossexualidade – homossexualismo, se for pra ser doença. Vocês já viram o tanto de dinheiro que o governo gasta com a reabilitação dos usuários de drogas? Ainda há pouco, o Estadãocontou que a “Bolsa Crack” pode chegar a R$1.350,00 em São Paulo, mais que o salário inicial de um advogado em Belo Horizonte.
Agora, pense: temos mais gays ou viciados em crack no Brasil? Imagina o mundo de dinheiro! Se o pensamento da Joelma vencer e os gays forem elevados ao status de drogados, o governo vai ter que curar esse povo, não vai? Vamos construir lindas clínicas e chamar de “spa dos varões”.









Não dá pra levar a sério um governo que parece estar brincando. Então, estou torcendo de verdade para que o projeto vingue. Não tenho planos melhores pras próximas férias...