Páginas

terça-feira, 18 de junho de 2013

Eu não quero Copa, Dilma!

Nada nunca vai me fazer entender o que leva uma pessoa, fardada ou não, a agredir, empurrar, encurralar e ATIRAR BOMBAS em outra sem nenhuma justificativa. Foi muito difícil acreditar que aquilo estava acontecendo mesmo ontem. E comigo. Eu, que sempre defendi a Polícia, olhava incrédulo enquanto o helicóptero jogava a fumaça na direção dos manifestantes...
Milhares de pessoas numa manifestação pacífica pelas ruas de um país democrático levando bomba e porretada de policiais usando máscaras, coletes e escudos. Parecia uma guerra! Quando os brasileiros finalmente decidiram agir em conjunto e se levantar contra os desmandos e absurdos praticados pelos nossos governantes, eles botaram as asinhas de fora e estão mostrando “quem é que manda aqui”. Colocar policiais nas ruas, com bombas e balas de borracha, para conter com violência uma passeata de estudantes parece (e é) um absurdo, mas virou prática, agora, em vários estados do país.
Eu ouvia os relatos sobre balas de borrachas e bombas de gás lacrimogêneo com certo interesse porque isso me parecia algo muito distante. Agora, não. Eu fui atingido por duas bombas ontem. Uma delas, atirada contra mim (que acertou o espaço entre as minhas pernas enquanto eu estava sentado no meio-fio esperando a fumaça passar), que chegou a encostar em mim e não explodiu na minha pele porque um desconhecido me puxou pelo braço antes mesmo que eu conseguisse entender ou acreditar. Eu, que nunca nem briguei na rua, fui empurrado e arrastado por uma multidão que FUGIA DA POLÍCIA. Alguma coisa muito estranha está acontecendo nesse país. “O mundo está ao contrário e ninguém reparou”... 
E só quem já sentiu aquela fumaça sabe do que eu estou falando. A garganta arde, o nariz arde, os olhos não conseguem abrir, a pele queima... parece um incêndio. É muito revoltante pensar que a Polícia usa aquilo contra PESSOAS. Pior ainda, contra pessoas de bem! Estudantes que só estavam exercendo o seu direito de não concordar com alguma coisa, de forma absolutamente pacífica. Houve vandalismo, eu sei, mas de meia dúzia de cinco ou seis mal intencionados, que não podem retirar o mérito dos milhares que agiram pela paz - e COM paz.
E, aqui, a minha insatisfação não é com uma pessoa ou partido específico. É claro que me incomoda ver a Dilma (e seu PT) agir como se nada estivesse acontecendo – aliás, se tem algo que me incomoda na Dilma são os seus silêncios cada vez mais comuns. Mas, aqui, em Minas, o governo é do PSDB e foi do Anastasia a ordem pra PM “botar pra quebrar”. Não é o partido, não é o líder, não é a Dilma, o Anastasia ou o Lacerda. É um grupo! Na verdade, dois: nós e eles. O grupo que vai pra rua dar a cara a tapa e o que bota a Polícia na rua, com bala e bomba, pra bater nas nossas caras.
Será que a Copa justifica mesmo tudo isso? É para manter uma imagem boa do país que o governo tá agindo CONTRA a sua população? Porque, se for, esse país vai ficar pequeno pra nós e pra ela. Se não dá pra receber a Copa e respeitar o povo, ALGUÉM VAI TER QUE DEIXAR O BRASIL! A FIFA ou a gente?
Nós não precisamos de Copa. Nós precisamos de saúde eficiente, que é bem diferente desse modelo brasileiro, em que morre gente na fila do posto todos os dias. Nós precisamos de educação básica, que é ensinar as crianças e jovens e os preparar para a Universidade e para o mercado de trabalho, não apenas empurrar todo mundo com a barriga e presentear com um diploma quem sobreviveu a toda a espera. Nós precisamos de transporte público de qualidade, e não essa pouca vergonha a que somos submetidos mediante tarifas cada vez mais absurdas.
Copa por Copa, os brasileiros vão ver é pela TV. Tanto faz ser aqui ou em Marte. Quem está apanhando nas ruas ou trabalhando pra ter seus impostos transformados em estádios não vai ver os jogos. Ou são muitos de nós que terão recursos para arcar com esses ingressos caríssimos? Essa Copa é pros gringos. E o dinheiro dos gringos virá apenas para os brasileiros mais ricos – ou alguém aqui vai ganhar alguma coisa com isso? Passagem aérea, hospedagem em grandes hotéis, refeições nos melhores restaurantes... O tão esperado “ganho econômico” advindo do turismo vai chegar a cada um de nós? Vai ser usado a nosso favor? Ou a gente tá só botando a mesa para os outros comerem?
Eu não quero Copa, Dilma! Eu sei que você já gastou muito dinheiro meu nisso. Mas, se você parar agora, vai economizar o que ainda não gastou. Dos prejuízos, o menor... Você pode levar isso adiante, eu sei. Pode forçar a barra, pode chamar a Polícia, pode jogar mais bombas na minha cara. Mas não pense que vai ser fácil assim. Não pense que a imagem do país será mantida e permanecerá intacta. Nós vamos às ruas, vamos gravar vídeos, vamos bombardear a internet. O mundo vai conhecer a nossa versão – dos fatos e da realidade brasileira. Você lutou contra a Ditadura num tempo em que os jovens tinham muito menos informação e recursos. Se, hoje, você mudou de lado, saiba que nós aprendemos muito com a sua geração. Não pague pra ver do que somos capazes.
A Ditadura era muito pior e acabou. Não há mal que dure para sempre - e  você sabe muito bem disso!