Páginas

domingo, 7 de julho de 2013

#instacoraçãopartido

É estranho (e, às vezes, divertido) ver a mudança nas fotos. Todo mundo reage de forma tão parecida ao fim de um relacionamento.
Eram fotos diárias de dois pratos, duas taças, quatro pernas, dois sorrisos. Passeio com o cachorro, pôr do sol no acampamento, cestas de chocolate, bichinhos de pelúcia. Fotos, fatos e relatos de um namoro tão bem sucedido que quase precisava mesmo ser esfregado na cara da sociedade. Exposto. Divulgado. De causar mesmo inveja aos corações mais solitários. Tanta união, tanta companhia. Tantos registros.
Hoje, as fotos são de festas. Muitas fotos e muitas festas. Amigos, sorrisos, bebida... as duplas de taças deram lugar a garrafas sozinhas, ou engradados inteiros. Metáfora das vidas de vocês. Cenários montados e poses ensaiadas com uma única finalidade: demonstrar felicidade.
Do lado de cá da tela, eu curti vocês alterando os “status de relacionamento”. Vi e curti as (inúmeras e diárias) fotos do casal feliz. Hoje, curto as novas fotos e quase acredito no quão bem vocês parecem estar. Mentira! Não me enganam nem um pouco. Por elas, no entanto, não precisarei perguntar pelo namoro (e causar aquele desconforto típico). Eu vi a felicidade e estou vendo o desespero.  E curtindo, é claro (que é a parte que me cabe nessa tragédia). Obrigado, Instagram.
Até eu vou sentir falta dos seus passeios e jantares românticos... Eu me sentia parte deles também. Cadê essas fotos agora? Deletadas. Uma a uma.
Na impossibilidade de apagar o passado, os erros, juras e aquela imagem perfeita de casal feliz e amor eterno, vão-se as fotos. Alguém precisa pagar a conta da desilusão.