Páginas

terça-feira, 6 de maio de 2014

Escuta aqui, dotô

- Então, Doutor, eu preciso que o senhor preencha uns pedidos de exames pra mim, porque eu to fazendo acompanhamento com uma nutricionista e o plano de saúde não aceita pedido se não for assinado por médico.
- Claro. Mais alguma coisa?
- Ah, eu queria aproveitar e fazer aqueles exames de sangue de rotina pra controle de doenças...
- Controle de doenças?
- É... Controle de DST.
- Mas você está sentindo algum sintoma?
- Não.
- Então não precisa.
- Tá, mas eu me preocupo.
- Mas não precisa. De verdade. Não precisa fazer exames a toa.
Silêncio.
- Doutor...
- As doenças sexualmente transmissíveis são muito sintomáticas. O tempo entre a contração da doença e o surgimento dos sintomas é bem pequeno. Se você não tá sentindo nada, não precisa se preocupar.
- Ainda assim, eu gostaria de...
- Você é de algum grupo de risco?
- Quais são os grupos de risco?
- Você fez ou faz sexo sem preservativo?
- Não.
- Você troca muito de parceiro ou de parceira?
- Não.
- Então!
- Doutor, eu não posso querer fazer o exame? As pessoas fazem regularmente, não fazem? Eu só fiz uma vez na vida, quero fazer de novo.
- São muitos exames e são sérios. Estou te alertando porque você não precisa ficar fazendo essas coisas e muito menos se preocupando com isso.
- Doutor, faz o pedido pra mim, por favor, e me poupa o trabalho de voltar na recepção e marcar outra consulta com outro médico pra pedir a mesma coisa. Porque é exatamente isso o que eu vou fazer saindo daqui.
O médico respirou fundo contrariado. Preencheu os formulários e me entregou.
- Quando esses resultados saírem, você traz aqui pra eu ver, tá? Não quero você tentando interpretar nada em casa não...
Em primeiro lugar, eu gostaria de destacar que queria um pedido de exames e não uma bronca. Ele já começou a consulta tentando avaliar o meu perfil psicológico. A primeira coisa que me disse foi "estou vendo aqui que é a sua terceira vez aqui, com o terceiro médico diferente". Respondi imediatamente dizendo que só tinha marcado com ele porque o segundo (já que eu não faço a menor ideia de quando foi essa tal primeira visita) não tinha vaga, pra ele não ficar se sentindo especial. Mas mesmo se fosse, mesmo se a minha intenção fosse trocar de médicos pra ouvir várias opiniões, eu estou pagando pelas consultas. Tenho esse direito, né? Ou consulta médica é recurso não renovável agora? Que desaforado!
Em segundo lugar, isso é jeito de falar com um paciente? Qualquer pessoa normal ficaria ofendida. E com toda razão.  Não quero você tentando interpretar nada em casa não... Ora, vá a merda! A sorte dele é que eu definitivamente não sou uma pessoa normal e esse conselho caiu como uma telha solta na minha cabeça. Deve estar escrito Dr. Google na minha testa ou esse médico era só muito bom de palpite.
Uma vez, um exame de sangue deu excesso de glóbulos brancos. Consultei a internet e diagnostiquei minha Leucemia. Quase morri. Avisei a todos, entrei em desespero. O Google tinha me dito, claramente, que os glóbulos brancos aumentam muito e rapidamente em pacientes com Leucemia. Corri pro médico. Era infecção na garganta.
Em outra oportunidade, identifiquei uma bolinha no bumbum, perto de onde o sol não bate (percebi no banho, gente, eu juro!). Vocês não imaginam as coisas que eu vi no Google. Era uma espinha - e eu descobri isso pelado, deitado de bunda pra cima, no consultório de uma médica tão elegante que conseguiu segurar o riso. Mas deu pra ver na cara dela como tava sendo difícil.
E eu faço isso em todas as consultas (será que os médicos anteriores escreveram isso na minha ficha?), sempre chego e conto pro médico o que sinto e o que acho que é, sempre com base nas inúmeras pesquisas que faço antes das consultas. E muitos deles são grosseiros. Quis explicar um atestado pra uma médica e ela me interrompeu dizendo "eu sei ler". Um médico riu alto do meu diagnóstico uma vez e perguntou "de onde eu tinha tirado aquilo". Seis anos na Faculdade e eles não aprendem boas maneiras?
Esse de agora errou muito ao começar a nossa consulta com essa interpelação tão agressiva. Poderíamos ser amigos agora e não somos. Nem seremos, porque eu não vou esquecer. E errou de novo fazendo todo esse alarde em cima de exames que deveriam ser rotineiros. Os exames da nutricionista eram de sangue também. Se a ideia era me afastar das agulhas, não adiantou. E se eu fosse ator pornô? É pra eu torcer pra ter alguma coisa só pra esfregar na cara dele e gritar eu já sabia? Muito inadequado, muito intrometido.
Mas, em um ponto, e só nesse, ele acertou. Eu vou interpretar os resultados dos exames em casa. Definitivamente!
E, dependendo do que eu diagnosticar, pode ser que ele acerte em relação ao meu retorno. Se ninguém mais naquele hospital tiver horário pra mim, é claro!

Um comentário:

  1. Uma vez meu exame da empresa deu alterado gama gt. Normal era 80 o meu deu 130. Fui ver no Google e essa alteração acontece em quem tem cirrose. Pensei: vou morrer.
    Refiz o exame a pedido da empresa e deu 190!
    Voei para um hepatologista. Vagarosamente escrevendo na ficha ele me explicou que era normal. Ele disse que tinha pacientes com gama gt 630 e não tinha nada.
    Dito é feito.
    Ficou a lição: não me diagnóstico e nem tento entender exames.
    Ps. É possível comentar sem ser pelo facebook.

    ResponderExcluir